domingo, 30 de outubro de 2011

Homens e Mulheres






"Homens são bobos e mulheres são chatas.
Homens são idiotas e mulheres são histéricas."

Dan Stulbach, no programa Fim de Expediente, transmitido pela Rádio CBN, no dia 28 de outubro de 2011.


O ser humano é essencialmente mutável. Para tanto, a personalidade assim como as rugas são marcas definidas pelo tempo, as características do humano nunca estarão completamente determinadas e segmentá-las de acordo com o gênero é um grande equívoco. No entanto, há um sem-número de estudos dedicados a compreender as diferenças entre o pensar masculino e o refletir feminino. 

A simplicidade popular costuma proferir: "O homem pensa com o corpo e a mulher com o coração". Ao vulgarizar os gêneros por grupos: o racional versus o emotivo, constrói-se estereótipos com qualidades estritas: objetivo, focado e desorganizado, em contrapartida ao subjetivo, prolixo e metódico. Entretanto, tal processo não exige rigidez, a formação do comportamento humano desenvolve-se prioritariamente a partir da vivência em conjunto com estímulo social e o instinto natural.

Diante disso, ao observar meticulosamente e conviver com muitos indivíduos, digo com convicção suficiente que o humano é complexo demais para definições e o tempo caminha rápido para agregar conceitos. O humano, inevitavelmente, experimentará o dito feminino ou o convencionado masculino e agregará ao seu comportamento algo que lhe defina, sem nem ao menos vinculá-lo ao gênero determinante. Talvez seja mais uma questão de apatia, simpatia ou empatia de influências e experiências do que simplesmente um X ou Y.


Thayze Darnieri




Oi?



Quase sem querer




"Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?"


trecho da música Quase sem querer, do Legião Urbana

domingo, 23 de outubro de 2011

Síndrome Lady Gaga





Ser do contra não é um sinal de rebeldia. Ser do contra é um sinal de personalidade.

Essa postura de não achar legal o que todos curtem, acham bonito ou simplesmente apreciam me gerou o título de arrogante. Ou babaca, para os íntimos. Isso aconteceu logo na adolescência, quando o pensamento limitado torna a maioria dos jovens em seres influenciados pela mídia, moda e senso comum. Todo mundo é muito igual. E você, no auge da suas observações, percebe que não faz parte daquilo.

Esse instinto natural te obriga a procurar opções. Se o ambiente não é favorável, o ser humano automaticamente caça alternativas que vão contra o tradicional. Transformando-se, assim, num arrogante alternativo.

Cidadão muito raro nos dias de hoje. Afinal, todo mundo é mais igual ainda. Até os diferentes.
Gostar de ruivas, ao contrário de alguns anos, não te torna diferente. Muito menos vestir xadrez e ouvir Foo Fighters. Esses três exemplos de beleza, moda e cultura tornaram-se overrated. E o motivo é bem simples: ser diferente virou pop. Se em outros tempos era vexatório falar no colégio que passou o sábado jogando Imagem & Ação com os amigos, hoje é maneiro.

O nerd chato de hoje é o capitão do time de futebol americano da Sessão da Tarde dos anos 90.
 
Por um lado é ótimo, afinal, mostra que o adolescente está mais independente do que nunca. Ao mesmo tempo, é um saco, pois todos fazem de questão de comprovar esse status. Isso comprova e diferencia o charlatão. O cara que força algo apenas para não parecer maneiro e ficar conhecido como diferente, vai por mim, não é diferente porra nenhuma.

O cara faz algo considerado chato para ser considerado legal.

Isso tá errado. E o mundo tá muito igual. Todo mundo gosta das mesmas coisas chatas, ruins e feias para parecer cult e diferenciado. Não que ruivas, xadrez e Foo Fighters sejam ruins. Mas imagine um mundo só de mulheres de cabelo vermelho, uma quermesse eterna e o Dave Grohl tentando provar que é engraçado em todos os canais. É o que vai acontecer. Pois, enquanto mais gente tentar parecer diferente, mais igual o mundo vai ficar.

 
 texto Tá todo mundo igual, de Fred Fagundes, extraído do Papo de Homem

Sem palavras





"Você pode até dizer que não entendeu o que eu disse.
Mas jamais poderá dizer que não entendeu como eu te olhei."


Padre Fábio de Melo


Linger





"And I swore I swore I would be true
And honey so did you..."


trecho da música Linger, de The Cranberries

domingo, 16 de outubro de 2011

Torre de Babel





"Se nem falando a mesma língua, homens e mulheres se entendem", ele disse.

Sem qualquer vestígio de romantismo, digo, somente o amor é capaz de liquefazer a discórdia disseminada pelo próprio amor. Explico: antes de brotar algum sentimento no coração do homem ou da mulher, gera-se a expectativa, eis o nome e sobrenome do desentendimento.

Idealizar o amor é a matéria-prima das comédias românticas. Entretanto, assim como nas histórias para mulherzinhas depois do primeiro encontro impreterivelmente vem a briga para colocar em xeque o sentimentos do casal. A vida imita a arte, para tanto, se a vontade do final feliz perdura, o desentendimento não destrói o amor, pelo contrário a briga se transforma em instrumento a favor do relacionamento.

Ninguém é perfeito e jamais será. Portanto, relacionar-se inclui doses cavalares de paciência, compreensão, respiração, sintonia, maturidade e calma, muita calma. No fim das contas, o desejo em entender é sinônimo de amar, uma vez que, o amor está mais próximo do reino das ações e bem longe do épico "eu te amo".  



Thayze Darnieri


I love you




"Todo amor luta para enterras as fontes de sua precariedade e incerteza, mas, se obtém êxito, logo começa a enfraquecer - definhar."


Zygmunt Bauman

Something




"Something in the way she woos me
I don't wanna leave her now
You know I believe and how..."


trecho da música Something, de The Beatles

domingo, 9 de outubro de 2011

Uma mão





"A coisa mais penosa do nosso tempo é que os tolos possuem convivção e os que possuem imaginação e raciocínio vivem cheios de dúvida e indecisão".

Raul Seixas


Ao refletir a respeito do último escrito não sobrou outra palavra senão: convicção. No entanto, estar convicto não equipara-se a ter um ponto de vista, uma vez que, a convicção é cega para o universo existente fora da certeza, em contrapartida, ao abrir os olhos perante uma perspectiva amplia e transforma o pensamento conduzindo-o ao raciocínio.

O homem é naturalmente ignorante quando algo sobrepuja suas referências. Para tanto, antes se observa e ao perceber o outro julga-o segundo sua lógica, no entanto, o humano é complexo e profundo em contradições. Generalizar é sempre burrice, generalizar em quesitos de personalidade é subir alguns degraus, entretanto, dificilmente ao definir a capacidade do humano a convicção está antes do ponto de vista, visto que a facilidade da verdade absoluta seduz ao passo que a dedicação intrínseca ao ponto de vista murcha os ânimos.

Quando perdi a plenitude dos movimentos, primeiro, olhei para mim, pensei na incapacidade latente para realizar sozinha as atividades simples e desesperei-me com a necessidade de pedir ajuda, logo respirei e desconstrui o obstáculo inexistente. Nesse momento, passei a perceber como os outros dirigiam a mim seus olhares diante do meu andar lento e mancado, e com tristeza remeti a preocupação para quem é incapaz permanentemente.

Quem não padece, desconhece o sofrimento. Liga-se ao movimento natural do humano que vive imerso em um universo particular, eu sou assim e você muito provavelmente também é. Contudo, olhar para o próximo e amparar um desconhecido, obedecendo aos preceitos de Nietzsche, ao observar ao redor ou quando permite-se fazer uma boa ação, você não remedia a quem recebe a ajuda, reputa antes a satisfação pessoal. 

Considero ajudar ação comum, para mim, o estranho está em receber ajuda. Sem vontade, acabei por redescobrir uma faceta adormecida do egoísmo e a contragosto aceitar a condição de ajudada. No entanto, ainda que a maioria das pessoas atrapalhem ou/e não ajudem, quando percebe no olhar de alguém a verdade no auxilio toda a qualquer questão menor desaparece.


Thayze Darnieri


Pais e filhos


foto: Angélica Abe


"In every dispute between parent and child, both cannot be right, but they may be, and usually are, both wrong. It is this situation which gives family life its peculiar hysterical charm."


Isaac Rosenfeld

Eternal Flame







"Say my name sunshines through the rain
A whole life so lonely
And then you come and ease the pain
I don't wanna lose feeling..."

trecho da música Eternal Flame, de The Bangles

domingo, 2 de outubro de 2011

No fundo

foto: Thayze Darnieri


 
Thayze Darnieri


Um ponto de vista não é apenas a presunção de uma ideia. A humanidade, naturalmente, com o passar dos séculos arraigou conceitos e vendeu opiniões tão certas e convictas que vestiram o manto da verdade. Para tanto, pressupõe-se a repetição de atitudes ditas corretas socialmente ao passo que os olhos forçosamente fechados fingem o choque ao se deparar com situações extraordinárias.

O hábito deveria fechar olhos ou tapar ouvidos e transformar esse ponto preto no escuro em abstinência de reação. No entanto, ainda impressiona posturas estúpidas e viciadas pela ignorância, sendo assim, devido ao movimento de translação, o mundo destrinchou-se nos loucos alucinados pela experiência e os reacionários acomodados em seus sofás a criticar espontaneidade alheia. 

Julga-se o outro pela incapacidade de pensar. Digo, vida. Digo, pensar. Provalmente, os dedicados a exatidão e a lógica, agora, imaginam que viver liga-se a loucura, entretanto, compartilho do pensamento que a liberdade principia na mente, uma vez que, viver é muito mais do que somente um porre homérico, um grito no silêncio ou personificar o contrário do senso comum. Ser livre significa o discernimento para decidir e a responsabilidade em arcar com os efeitos, transmuta-se na conquista da licença para escolher e formatar a personalidade perante seus desejos, afora as concepções vendidas pela comunidade, escola ou família que tencionam educar, mas congelam pré-conceitos ao invés de ampliar horizontes.

Um aporte clichê com a influência de Voltaire: "Eu posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o direito de dizê-las", portanto, uma opinião será somente uma opinião, se não pertencerem ao seu intérprete. Liberte-se e ao procurar em seus pertences veja como verdadeiramente se mostra, olhe no espelho e descubra se o reflexo é condizente. Se for estúpido ou ignorante, seja! Apenas certifique que vive a sua convicção com verdade e não como um repetidor de conceitos.


WTF?




 "O que obviamente não presta sempre me interessou muito".


 Clarice Lispector


Coldplay




"I had to find you, tell you I need you
And tell you I set you apart..."

trecho da música The Scientist, do Coldplay



Um aeroporto, um homem atordoado pela possibilidade de perder a mulher amada: uma romance clássico. E foi assim, despropositadamente simples, ao assistir mais um filme escrito para emocionar moças românticas e sonhadoras que me apaixonei pelo Coldplay. O enredo não me recordo mais, no entanto, os últimos minutos do filme Paixão à Flor da Pele, ao som de The Scientist jamais serão esquecidos.

Aquele som tocou profundamente, tanto que procurei desesperadamente para saber quem disse tão docemente o forte: "Nobody said it was easy". Após pouca busca, conheci músicas que embalariam a minha vida e grandes momentos dali em diante: The Hardest Part, Trouble, Clocks e God Put a Smile upon Your Face e para manter a paixão continuou com Speed of Sound, Fix You, Strawberry Swing, Viva la Vida e Death and All His Friends.

O Coldpaly é uma banca britânia de rock alternativo fundada em 1996 na Inglaterra pelo vocalista principal Chris Martin e o guitarrista Jonny Buckland no University College London. Depois de formar o Pectoralz, Guy Berryman se juntou ao grupo como baixista e eles mudaram o nome para Starfish. Will Champion entrou para tocar bateria, como vocal de apoio e multi-instrumentalista, completando assim, o grupo.

Inspirado pela política do U2 e R.E.M. e, por vezes, com o som comparado a Radiohead e Oasis. A banda já ganhou vários prêmios da indústria musical ao longo de sua carreira, incluino seis Brit Awards - vencendo o de Melhor Grupo Britânico por três vezes, quatro MTV Video Music Awards, e sete Grammy de vinte indicações. Como um dos recordistas de vendas de discos, o Coldplay já vendeu mais de 50 milhões de discos em todo o mundo.




 Thayze Darnieri


Fonte: Wikipédia

Pop