sábado, 28 de fevereiro de 2009

palavras de carinho




"A carta é a demonstração de carinho que todos devíamos receber, seja um bilhete ao lado do travesseiro, na porta da geladeira, em cima da mesa do escritório... Um bom dia, um boa tarde, apenas a palavra saudade."



trecho de Desejo que você receba cartas, de Thaty Hamada

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

hãn!




"Discordo de Freud. Não acho que a inveja do pênis seja exclusiva das mulheres".



Woody Allen

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Vila da Saúde

foto: Thayze Darnieri



Bairro da zona centro-sul de São Paulo: Bosque da Saúde, Jardim Saúde, Praça da Árvore ou simplesmente Saúde fica numa região nobre da cidade de São Paulo, mas começou apenas como parte de um caminho onde os tropeiros faziam parada. Esse lugar levava o nome de Cruz das Almas por existir uma cruz onde se ascendiam velas e colocavam imagens de santos em homenagem aos mortos. Conta-se que no local dois ladrões assassinaram dois irmãos tropeiros gaúchos. Em 1910, foi construído naquela região a capela de Santa Cruz (entre as ruas Santa Cruz e Domingos de Morais), sete anos mais tarde a capela foi elevada à condição de paróquia sob a invocação de Nossa Senhora da Saúde. E em 1928 iniciou-se a construção de uma grande igreja. O povoamento aconteceu ao redor da igreja com a vinda de imigrantes orientais e europeus, principalmente japoneses e alemães. E o nome do lugar veio do nome da santa. E o que era Nossa Senhora da Saúde se transformou em Saúde. Em 1925 foi criado o distrito da Saúde. A prefeitura, naquela época, reservou uma grande área denominada Bosque da Saúde que passou a ser frequentada pelos paulistanos nos fins de semana para fazer piquenique.



fonte: São Paulo Minha Cidade

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

uma questão de afinidade




"A melhor definição de amor não vale um beijo."


Machado de Assis

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

ainda há algo ali...




"Há atos humanos que, considerados isoladamente, são impregnados pela nossa sensibilidade valorativa com as cores mais deslumbrantes, mas que, pelas conseqüências a que dão origem, acabam fundindo-se na cinzenta infinidade do historicamente indiferentente, ou que antes, como geralmente sucede, entrecruzando-se com outros eventos do destino histórico, acabam mudando tanto na dimensão como na natureza do seu 'sentido', até tornar-se irreconhecíveis".



Max Weber

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Improvável

Improvável é um espetáculo de humor baseado em improvisos. Criado, produzido e encenado pela Cia de Barbixas de Humor, com participação do comediante, jornalista e apresentador Rafinha Bastos que inicia o espetáculo com uma apresentação de stand up comedy, e durante o espetáculo seleciona as sugestões da platéia e explica as regras do jogo. Além do elenco fixo, cada apresentação conta com a presença de um convidado, entre os que já passaram pelo Improvável estão: Oscar Filho, Marco Luque, Marcela Leal, Marcio Ballas e muitos outros.

fonte: http://pt.wikipedia.org/

domingo, 22 de fevereiro de 2009

coração radiante




"O teu sorriso é um paraíso
Onde contigo eu queria estar
(...)
Está escrito no meu olhar..."


trecho da música Coração Radiante, do grupo Revelação

sábado, 21 de fevereiro de 2009

outros ares...

foto: Thayze Darnieri / Cachoeira do Indaiá



"É carnaval. Essa época do ano é tão imperativa que não consigo pensar em nenhum tema possível para tratar que não seja isso. E como qualquer coisa que eu tente escrever sobre a folia momesca com certeza ficará extremamente chata, vou poupá-los dessa experiência."



Pedro Neschling

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

simples sintonia




"Todas as pessoas do mundo sorriem no mesmo idioma."



Morris Mandel

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

sem tempo a perder...




"Mas se eu tivesse ficado, teria sido diferente? Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais - por que ir em frente? Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia – qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê. Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido."



Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

juntos

foto: Vitor Verissímo



"Juntos nos conhecemos melhor e conhecemos o mundo melhor. Claro que eu não teria conseguido nada disso sem você. Cada um de nós, foi para o outro (e ainda estamos sendo) o braço que falta em um, a perna que falta em outro, o neurônio que falta nos dois, e assim, juntos conseguimos andar grande caminho, driblar vários obstáculos e vencer muitos desafios."






trecho do texto Resposta, de Vitor Veríssimo

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

às vezes!





"Porque já não temos mais idade para, dramaticamente, usarmos palavras grandiloquentes como "sempre" ou "nunca". Ninguém sabe como, mas aos poucos fomos aprendendo sobre a continuidade da vida, das pessoas e das coisas. Já não tentamos o suicídio nem cometemos gestos tresloucados. Alguns, sim - nós, não. Contidamente, continuamos. E substituimos expressões fatais como "não resistirei" por outras mais mansas, como "sei que vai passar". Esse o nosso jeito de continuar, o mais eficiente e também o mais cômodo, porque não implica em decisões, apenas em paciência."



Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

o seu amor



"Arranque do teu peito o meu amor cheio de defeitos..."



trecho da música Digitais, de Isabella Taviani

domingo, 15 de fevereiro de 2009

livre


" ...mas eu desconfio que a única pessoa livre, realmente livre, é a que não tem medo do ridículo".


Luis Fernando Veríssimo



Liberdade, palavra difícil de definir, complicada para entender, inexplicável até no sentir. Eu me considero uma pessoa livre, não pelos motivos convenientes e óbvios, sempre fui livre. Para mim, a liberdade está mais vinculada ao sentimento do que apenas ao privilégio do livre arbítrio, uma vez que, antes de qualquer coisa é necessário fazer uso da prerrogativa disposta nessa autonomia.

Entretanto, é um direito individual e intransferível, cada um pode dar significância e juízo a essa regalia a sua maneira. Hoje, traduzo o sabor da liberdade a qualquer coisa relacionada a experiência, minha convicção acredita que a arte da experimentação e as sensações advindas dela trasmitem e propagam no vento que afaga o ser livre.

Nada melhor do que passar o dia sozinha em casa e sentir o prazer da sua companhia, ouvir música e dançar como se houvesse um nó invisível entre o som e a vida, andar na chuva e sentir a benção de Deus escorrendo pelo seu corpo, beber com os amigos e falar coisas sem sentido inaudíveis para os que ainda possuem consciência, rir de si mesmo e com isso soltar todas as amarras estranhas à coerência, correr pela rua na madrugada e ter certeza que enquanto todos dormem você é capaz de compreender a existência, andar sem rumo à espera do próximo ato já escrito pelo destino, fazer caretas em frente ao espelho e saber que o ridículo inexiste para quem é feliz.
.
.
Thayze Darnieri

sábado, 14 de fevereiro de 2009

... algum receio




"Não é vergonha ter medo. Que diabos, nós todos temos medo! O que você tem que fazer é descobrir do que tem medo, porque quando você sabe o que é você pode vencê-lo. Melhor ainda, você pode usá-lo."




Mark Schwahn

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

decidido...




"Alguns, sem terem dado rumo a suas vidas, são flagrados pelo destino esgotados sonolentos".



Sêneca

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

sinto aquela saudade de você








Deka Silva





Dona Saudade, de onde você vem?

De um lugar distante, onde a esperança não foi vencida?

Tens sido minha fiel companheira.

Sempre me recebe de braços abertos.

Juro que muitas vezes queria dispensá-la, mas como?

Só sentimos saudades de algo bom!

O certo é que nesses dias todos não me deixas, me segue, sendo cúmplice de tudo.


Já que não me abandonarás até eu encontrar quem desejo, vou continuar meu caminho, com você a tiracolo, tá saudade?


Você, dona Saudade, tem me seduzido muito, fazendo meus pensamentos voarem por aí feito romance da pipa com o vento.


Tudo bem, também não tenho resistido, afinal és cúmplice da minha felicidade, do meu desapego, das minhas escolhas, dos meus sonhos todos.


Vou continuar com você, não se preocupe, quero conhecê-la melhor, assim conhecerei mais a mim mesma. Estará comigo, de qualquer forma, nenhum ser neste mundo consegue ficar sem sentí-la! Não serei eu a primeira a resistir aos seus encantos...


Vou tecendo em fios coloridos, esperando, o dia do reencontro! Assim, dona Saudade irei me despedir de você, sem mais sentí-la, apenas desejarei que continues sendo irresistível para quem te encontrar pelo caminho...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

pra quê?




"Lamentar a infelicidade só atrai a infelicidade."



trecho do artigo Escorregão, de Betty Milan

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

O Leitor

.

"O medo tem alguma utilidade, mas a covardia não."

Clarice Lispector

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

aquele anjo

foto: Thayze Darnieri



Thayze Darnieri



Antes de nascermos, Deus reúne toda a papelada do nosso destino, trilha um plano de vida individual, onde prevê aspectos da personalidade e características físicas, bem como a vida social, nossas relações e relacionamentos, cruza perfis de seres que combinam em suas diferenças e afinidades.


Como não poderia ser diferente, assim foi comigo, durante os meus 20 e poucos anos, tive experiências fantásticas tanto em auto-conhecimento, ao perceber minhas qualidades, sentir meus defeitos, concordar no meu íntimo com opiniões alheias ao senso comum, suprimir o medo e adquirir segurança. Tanto nas relações interpessoais, tive a sorte de topar com pessoas ímpares, cada um com a sua característica peculiar que se adequa e aviva o meu modo de enxergar a vida.


No entanto, há no meu rol de amizades uma pessoa que se destaca naturalmente, digo sempre que o conheci por obra do destino, visto que entrou na minha vida da forma mais casual possível e foi a cada dia conquistando mais um pedaço do meu amor e admiração. Entretanto, quando falo dia não é um dia ali outro cá, significa convivência diária. Por que estou falando disso hoje? É que, em algum dia dessa semana, não me recordo exatamente qual, eu e esse meu grande amigo fazemos um ano dividindo o mesmo teto.


Muitos dizem que esta é uma prova de fogo para qualquer espécie de relacionamento, uma vez que, o cotidiano denuncia os defeitos e as diferenças, há quem não aguente a primeira divergência e foge sem nem mesmo tentar, como também existem aqueles que descobrem que a primeira briga é só a primeira, haverão muitas outras, no entanto, ao invés de se armar descobre o equilíbrio nas dificuldades.


Todas as pessoas que cruzaram o meu caminho sempre trouxeram consigo algo novo. Contudo, talvez devido a intensa convivência, foi com ele que descobri um mundo que não conhecia, saboreei experiências pela qual nunca concebi viver, com o seu auxílio venci monstros imaginários, fui feliz de verdade, e se já não bastasse me ofereceu subsídios para erguer a ponte que me ligou ao desejo de uma inteira: ser independente.


Para tanto, acredito piamente que tal feito não seria praticável ao lado de qualquer pessoa. Deus já devia ter anexado o seu "processo" ao meu, no dia do meu nascimento, o escolhido para me acompanhar e fazer dos meus dias mais amenos; me ensinar, mesmo que na marra, o exercício da convivência; mostrar que hábitos que julgava normais deviam ser pontualmente aperfeiçoados; viver um dia comum e nem por isso ser rotineiro; morrer de dar risada das suas caras surpreendentes ou de observações sempre autênticas; saber só no olhar que está feliz; distinguir apenas no tom de voz que está bravo ou insatisfeito.


Enfim, obrigada por tudo que vivemos e ainda vamos viver juntos. Por isso tudo, agradeço continuamente àquele dia que Deus estava estudando umas papeladas calmamente em seu escritório e um anjo estabanado adentrou correndo, derrubou os nossos e outros "processos" no chão e sem conseguir reorganizá-los, Ele, por engano, acabou nos unindo em um mesmo destino.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Acredite!

.

"Todo dia é dia de renovar o nosso destino."

José de Paiva Netto

sábado, 7 de fevereiro de 2009

As coisas lá




Quando não estou no pêndulo insuportável de devorar ou vomitar, tenho meus minutos de contemplação. As coisas lá, eu aqui. As coisas lá. Eu aqui.
E quando entendo que posso gostar de cinema sem ver filmes o tempo todo, e gostar de sumir sem fazer sexo ou dormir o tempo todo, e gostar de livros sem ler o tempo todo e amar alguém sem estar com ele o tempo todo, entendo o mais maravilhoso de tudo: que eu posso ser eu sem falar nisso o tempo todo. E fim de papo.



Tati Bernardi

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Lá vou eu

"As luzes da cidade
Não chegam nas estrelas

(...)
E na medida do impossível
Tá dando pra se viver
Na cidade de São Paulo
O amor é imprevisível como você
E eu
E o céu..."

trecho da música Lá vou eu, de Zélia Duncan

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

... sempre por perto!




"Não existe segredo para a felicidade. A felicidade é o segredo."



Mauro Pietrobon

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

é o que é!




"A vida distribui mal as suas cartas e coloca as pessoas em posições diferentes: há os que recebem um péssimo jogo ou já nascem na segunda divisão e os que nascem com a bunda virada pra lua, como diz o populacho. Qual a razão dessa hierarquia? Há muita especulação... Por exemplo, os espíritas falam que as posições correspondem aos acertos e erros em vidas passadas... Mas, pode ser que eles estejam errados; que as pessoas simplesmente sejam para o que nascem."




trecho do texto Síndrome de Caim, de Jean Wyllys

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

muito amor



Tati Bernardi


Para os grandes, eu penso. E viro a cabeça pra pensar em outra coisa. É mais feliz gostar, amar é pra quem pode. Mas você ou a vida ou sei lá. Insiste. E então chega enorme. E só me resta rir que nem quando vejo um bebê muito pequeno e lindo. Você ri. Vai fazer o quê? É o milagre maravilhoso da vida e eu ficando brega e cheia de medo e cheia de vontade de te contar tantas coisas e nem sei se você gosta de ouvir meus atropelos. Muito amor. E então fico querendo não trair a beleza. Com você sinto a fidelidade de ser tranquila. Um pacto de paz com o mundo. Pra não me afastar de você quando estou longe. E é impossível então que os martelos do apartamento de cima sejam realmente martelos. E é impossível que as chatices do dia sejam realmente sem solução. E os outros caras, aviso, olha, é amor. É amor. Ainda que eu quisesse, não consigo mais nem um centímetro pra você. Desculpa. O amor é terrivelmente fiel. Porque ele ocupa coisas nossas que nem existem nos sentidos conhecidos. É como tomar água morna depois de ter engolido um filtro inteiro de água geladinha. Ninguém nem pensa nisso. Muito amor. De um jeito que era mesmo o que eu achava que existia. E é orgânico dentro da gente ainda que vendo de fora não pareça caber. O corpo dá um jeito. Minha casca reclama mas incha. Tudo faz drama dentro de mim, ainda que nada seja realmente de surpresa. Sentir isso era o casaco de frio que sempre carreguei no carro. Cansado, abandonado, amassado, sujo, velho. Mas, de repente, tudo isso desistente tem serventia e a vida te abraça. O guarda-chuva do porta-malas. A bolsa falsa do assalto que minha mãe mandava eu ter embaixo do banco do passageiro. Sentir isso é os trocos que você guarda pra emergência. Amar grande é gastar reservas e ainda assim ter coragem pra dar o que não se tem. Amar grande é ter vertigem no chão mas sentir um chamado pra voar. Amar grande é essa fome enjoada ou esse enjôo faminto. É o soco do bem na barriga. É mostrar os dentes pra se defender mas acaba em sorriso. É o sal que carrego no fundo falso da bolsa pra quando eu não aguentar a vida. É o açúcar que carrego junto. É tudo que pode sair do controle. É meu corpo caindo. E as almofadas de várias cores pra me dizer que pode dar certo. É o desespero aconchegante.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Foi apenas um sonho

.

"O destino não é uma questão de oportunidade. É uma questão de escolha. Não é algo para se ficar esperando, é algo a ser conquistado."

.

William Jennings Bryan

domingo, 1 de fevereiro de 2009

... os outros




"A felicidade é difícil de se atingir, pois só a atingimos tornando felizes os outros".



Stuart Clock

Pop